Morfeu Conteúdo

A Morfeu Conteúdo compreende que a justiça social é importante para a solidificação de uma sociedade justa e harmônica, por este motivo investe em comunicação destinada aos direitos universais.

Através de plataformas inovadoras e preços acessíveis a entidades do terceiro setor – que atuam com direitos humanos, proteção animal e preservação ambiental -, nós transformamos a sociedade, apoiando o trabalho de quem transforma vidas.

Direitos Universais

Após o término da maior barbárie do século XX (a ascensão do III Reich que culminou na II Guerra Mundial), estadistas e ativistas políticos se reuniram, na Conferência de Yalta, na Rússia, em 1945, para elaborar um documento que determinasse diretrizes para resolver conflitos internacionais, evitar guerras, promover a paz e a democracia e determinar o mínimo necessário para a sobrevivência humana.

Os inúmeros encontros, liderados pelos Estados Unidos e pela antiga União Soviética, resultaram na Declaração Universal dos Direitos Humanos (DUDH) que esboça as garantias necessárias para qualquer ser humano sobreviver com dignidade. A declaração foi adotada pela Organização das Nações Unidas no dia 10 de dezembro de 1948, e os principais líderes mundiais da época se comprometeram a coloca-la em prática, para proteger a vida de cada mulher e cada homem que caminhasse pela Terra.

Embora haja dificuldades para estabelecer as condições mínimas de sobrevivência humana, a Declaração Universal dos Direitos Humanos teve importância fundamental para o resguardo jurídico dos cidadãos após a segunda metade do século XX e, inclusive, serviu de princípio e inspiração para a constituição de diversos países signatários da DUDH defender a liberdade e o direito individual.

Entre os principais pontos abordados na Declaração estão: a liberdade, a igualdade, o direito à vida e à segurança pessoal, a abolição da escravidão e da tortura, o direito à livre circulação, a livre expressão de pensamento e de religião e o acesso aos recursos naturais básicos para a sobrevivência.

A Relação dos Direitos Individuais e a Sociedade

Defender os direitos humanos não é apenas defender o direito de um indivíduo, é, sobretudo, defender a estabilidade e o avanço social da humanidade. Países com maior IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), medida comparativa para classificar os países pelo seu grau de desenvolvimento humano, oferecem a todos os cidadãos melhor qualidade de vida e maior expectativa de vida.

Observa-se, também, que nestes países, nos quais o IDH é elevado, há maior respeito às liberdades individuais e coletivas. No topo da lista estão a Noruega, Austrália, Suíça, Dinamarca e Países baixos. Na antemão do progresso individual e coletivo estão a República Cento-Africana, a República do Congo e Níger, nesta última nação, a expectativa de vida é de 58,4 anos. Para estabelecer um comparativo, os cinco países com IDH mais elevado possuem a expectativa de vida acima dos 80 anos. No Brasil, o cidadão vive em média 75,5 anos.

Brasil, um país com potencial a ser explorado

O potencial do Brasil e do povo brasileiro é inegável. Por diversos problemas, que não merecem ser explorados nestas linhas, há diversas violações de direitos humanos no país, entre as principais assinam-se a privação da água e da alimentação, precariedade do ensino e falta de segurança. Por mais que estes problemas existam, o povo brasileiro demonstra uma extensa capacidade de formar ilustres seres humanos, como Darcy Ribeiro, Milton Santos, Zilda Arns, Josué Montuello, entre outros. Além desta aptidão acadêmica pouco explorada, nossa pátria, segundo um estudo francês, divulgado em 2016, é uma das mais tolerantes à diversidade do mundo.

Por este motivo e por tantos outros, a Morfeu Conteúdo investe em seu Valor Social, com o objetivo de construir uma sociedade menos desigual e mais favorável possível à diversidade, em todos os seus aspectos.